• -

Alvorecer com Jesus – Dia 19/06

 

Alvorecer

O Alvorecer com Jesus é um evento da IASD Central de Santos que acontece todo terceiro domingo de cada mês. Neste mês de junho, acontecerá no próximo dia 19. A ideia é  convidar as pessoas a entrarem na presença do Senhor Jesus já nas primeiras horas do dia, antes mesmo do sol nascer!

“A princípio, a ideia de estarmos reunidos bem cedinho pode impactar as pessoas, porém, não há palavras para descrever a sensação de estar junto com amigos queridos, orando, tendo como pano de fundo, a cidade de Santos mais abaixo, enquanto o sol surge por detrás das montanhas… É incrível saber que toda vista foi moldada pelas mãos do Criador!”  – diz André Apone, membro da Central de Santos.

Às 6:00h no Morro da Asa Delta – divisa entre São Vicente/Santos.


  • -
11253878_1098198013530764_683355896_n

BASE G148 SANTOS

Geração 148 é um projeto formado por jovens, que estão dispostos a formar uma geração de cristãos comprometidos, envolvidos e prontos a enfrentar desafios. São jovens que buscam em sua caminhada cristã, viver por um único motivo: a Glória de Deus. Refletir o caráter do criador, testificar de Seu plano de salvação e viver a plenitude deste chamado. Visão: Reavivar esta geração através do relacionamento íntimo com Cristo e Sua palavra, resultando em uma comunidade viva e relevante na missão de sinalizar a chegada do reino de Deus com criatividade e diversidade de ideias. Nome: Baseado na passagem de Romanos 14:8 “Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos, de sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor”. O Projeto visa estabelecer uma identidade cristã real e significativa na vida dos jovens.
Objetivos:
1. Inspirar jovens a viver para a glória de Deus através de um relacionamento íntimo com Cristo.
2. Resgatar um cristianismo estritamente bíblico e prático.
3. Promover relações concretas em redes de amizade.
4. Desenvolver voluntariado e serviço social junto à comunidade.
5. Encorajar novos métodos criativos de evangelização.
6. Capacitar e desenvolver a multiplicidade de dons, e criar oportunidade para a utilização destes dons.
7. Espalhar a mensagem contextualizada de salvação em Cristo Jesus.
8. Criar um ambiente propício para atrair os amigos não cristãos.
9. Promover o reavivamento e reforma dos jovens adventistas.
10. Moldar um estilo de vida jovem guiado por princípios bíblicos.

A BASE G148 de Santos, é um grupo de estudos bíblicos voltados para os jovens com muita alegria, louvores, e ações. Compareça à Rua Torres Homem, 82 – Embaré – Santos. Toda sexta-feira às 19.30h

Visite nosso Facebook: https://www.facebook.com/jovensadventistasdacentraldesantos?fref=ts


  • 0
pontodevirada

O ponto de virada adventista

Existe um momento na vida de Jesus, onde Ele parece não saber o que dizer. “E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos” (Lucas 19: 41). A sentença de Jesus começa com um sentido, então divaga – como se não houvesse sentido continuar.

Se, figurativamente falando, Jesus estivesse a olhar para a Igreja Adventista, o que Ele diria? Será que Ele nos veria da forma como como muitos do mundo ainda nos veem – um bastião do legalismo? Pesadas ​​expressões faciais nos cercam ao pensarem que podemos obrar o nosso caminho para o céu? (“Nós não precisamos de um Salvador, nós cuidaremos disso.”)

Talvez em anos passados, houve algo disso. Quando eu estava na faculdade, um orador veio ao campus e disse que sua paixão era a graça. Para ser honesto, suas mensagens pareciam como água em terra seca.

Mas se os ventos secos do legalismo já sopraram quase que totalmente, o que os substituíram? Uma vida de fé saudável que combina a verdadeira alegria em Cristo com escolhas cuidadosas sobre o que permitimos em nossas mentes e lares? Ou algo mais?

Na minha opinião, a maior ameaça a nossa igreja não é mais o legalismo (embora ele ainda exista). É o secularismo, o materialismo, o mundo. Este é o ladrão que agora vem para “roubar, matar e destruir” a vida abundante em Cristo.

Em seu livro “The Tipping Point” (O Ponto de Virada), Malcolm Gladwell explora os momentos em que a cultura sugere – e depois se espalha como incêndio. O ponto de virada, explica ele, tem tudo a ver com os líderes de uma determinada cultura – mesmo que eles não percebam que são os líderes. Por exemplo, em Nova York, meados de 1990, os sapatos Hush Puppies de repente ficaram muito populares porque um pequeno grupo de garotos legais de East Village e Soho decidiu começar a usá-las. “Os sapatos de 30 dólares passaram de um punhado de descolados e designers do centro de Manhattan para todos os shoppings dos Estados Unidos no espaço de dois anos”.

Se você é um líder natural (queira ou não), as decisões que fizer vão moldar a cultura das pessoas que lhe observam. Então, quem são os líderes culturais da Igreja Adventista hoje?

Em minha opinião, a cultura de nossa igreja hoje é formada em grande parte por líderes naturais que são boas pessoas íntegras, que você vai ver uma vez por semana na igreja e várias vezes por semana nos campos de Little League, que conhecem todos os mais recentes filmes e programas, que acreditam que temos “a verdade” – o que significa principalmente a adoração no Sábado – mas que podem ser parte dos 50 por cento dos membros da Igreja Adventista que nunca estudam individualmente a Bíblia. Seus filhos crescem até se tornarem líderes naturais com dons dados por Deus, mas eles mesmos não consideram um ministério de tempo integral. Em vez disso, eles escolhem carreiras de prestígio ou lucrativas e tornam-se bons cidadãos íntegros e membros da igreja – como os pais.

Assim, adventistas, quão diferentes somos de outros? Seria honesto dizer que, mesmo reconhecendo que os líderes mais talentosos em nossas Bíblias foram exatamente aqueles a quem Deus chamou para o ministério de liderança – Moisés, Davi, Daniel, Pedro – a maioria dos nossos melhores e mais brilhantes de hoje nem mesmo consideram a liderança do ministério porque não é mais o lugar onde está a cultura de nossa igreja?

Devemos ter cuidado para não substituir uma cultura que se importou em menores com uma em que menores são maiores: a graça transformadora de Cristo, nossa mensagem adventista distintiva, a vida abundante. Nossos padrões devem ser maiores do que as de quaisquer legalistas, porque entendemos que o nosso comportamento não determina a nossa salvação de nenhuma forma.

Então por que não sonhar alto? Ao invés de viver uma vida predominantemente secular com um pouco de sagrado nas bordas, deveríamos estar vivendo uma vida predominantemente sagrada com o secular relegado às bordas. Nossa cultura de igreja pode ser virada, mas apenas se a maioria de nossos líderes naturais decidirem liderar.

“Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence!. . . “

Andy Nash leciona jornalismo e religião na Southern Adventist University, EUA.

Fonte: Adventist News Network


Pesquisa